AAAAAA:

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
AAA A AAAA AA AAAAAAAAAAAA

AAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAA AA A AAA A AAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAA.

55 847 AAAAAAA · 195 271 AAAAAAA

AAAAA

AAAAAAA

AAAAAAAA

AAAAAA

AAAAA

AAAAAAAAAA

AAAAAAAAA AAAAAAAAA
Li Bai agradecendo a Deus pela pinga sagrada de cada dia.

Li Bai, também conhecido como Li Po, e em algumas raras ocasiões chamado também de Li Bo ou ainda Li Bebai, foi um poeta chinês da época da antiga Dinastia Tang, um importante período da história chinesa caracterizado pela forte presença do nepotismo no império. Não se sabe ao certo quem foram os familiares desse importante autor, já que nessa época todo mundo se chamava Li alguma coisa (com exceção do também poeta Du Fu, porém, dizem que este último na verdade teria nascido como "Li Fu" e posteriormente teria mudado seu nome em cartório), o que tem dificultado em muito para os historiadores estabelecerem corretamente uma árvore genealógica. Li Bai, além de poeta, ficou famoso por ser um exímio pinguço e escrever suas maravilhosas poesias sob a forte influência do álcool (sobretudo vinho). Li Bai costuma ser considerado o mais importante dos poetas da Dinastia Tang, ao lado do já mencionado Du Fu. Até porque, todos os demais autores dessa época são tão desconhecidos que até mesmo os livros especializados se esquecem de citá-los.

Um fato curioso é que Li Bai é conhecido por vários nomes diferentes, e isso muitas vezes pode confundir os menos estudados. Não se sabe o porque de tantas nomenclaturas diferentes para uma mesma pessoa, mas há teorias que tentam explicar o motivo para tal. Uma das explicações alega que quando Li Bai estava para nascer, seus pais não sabiam qual nome escolheriam para dar ao seu filho, a única coisa que sabiam é que ele começaria com "Li". Dessa forma, eles decidiram anotar todas as possibilidades num enorme pergaminho e colocá-lo no chão de sua casa. Com a ajuda de um dado de RPG de 20 lados, eles escolheram o nome de seu filho, ao jogar o objeto para o alto e decidir na sorte, sendo o nome sobre o qual o dado caiu o escolhido para nomear a criança. Como era uma família tradicional muito presa à recordações, eles decidiram guardar o pergaminho em questão no porão de sua casa, o qual teria sido encontrado por historiadores posteriormente. Assim perpetuaram-se todas as inúmeras variações para seu nome.

Compartilhe: Compartilhe via Facebook Compartilhe via Twitter Share on Google+



AAAAAAA A AAAAAA


AAAAAA AAA...


AAAA AAAAA


AAAAAA AA AAAA
 
AAAAAAAAA
FeaturedAAA.png
AAAAA AAAAA(AA) AAA AAAAAAAAAAAAAA, AAAA (AAA)AAAAAAAAAAA AAAAAAAA AAAA AA A AAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAA: AAAA AAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAA AAAAAAA A AAAAAAAAA. AAAAA AAAAAAAAA, AAAAAAAAAAA AAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAA (AAAAA, AAA, AAAAAAAAAAAAA, AA, A, AAAAAAAAAAAA.) A AAAAAA AAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAA AAAA AAAA AA! AAAAAAAAAAAAAA. AAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAAAA AA A AAA AAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAAAAAA.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA AA A
AAAAAAAAAAAAAAA A AAAAA AAAAAAAAAA AAA AAAAAAAAAAAAAA AAA A AAAAAAAAAA, A! AAAA A? A AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. AAAAAAAAAAAAAAAAAAA A A AAAAAAAAAAAAAAAAAAA AAA, AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, AAAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAA AAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAAA AAA AAAAA AA. AAAAAA AAAAAAA, AAAAAAAA AAAAAAAA, AAAAAAAAAA A AAAAAAAAAAAAAAAA.


AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
AAAAAAAAAAAAAAAAA A AAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAA. AAAAAAAAAA AAAAAAAAA AAAA AAA AAAAAA, AAAAAAAAAAA AAA AAAAAAAAAAAAAAAAAAA! AAAAAAAA AAAAAA AAAAAAAAAAAAAA AA AAAA.


AAAAAAA AAAA AAAAAAAA
AAAAAAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAAAAAAAAAA! AA AA AAAAAAAAAAAAAAAA AA AAAAAAAAAAAAAAAAAAA, AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA:


Lista completaComeçar uma nova edição